15 de agosto de 2007

A tragédia bateu-me à porta



A minha vida foi abruptamente interrompida.
À minha volta vejo tristeza nos olhos das pessoas que me tentam confortar. Vejo tudo escuro. Sombrio. E a primeira reacção é acabar por aqui. Mas a minha Avó sempre me ensinou a ultrapassar dificuldades. A não pensar em desistências. A enfrentar os dissabores e aproveitar as coisas boas que a vida nos dá.

Por isso, é por ela que continuo. Será o exemplo que sempre tive da imagem dessa memória que dela tenho e que fará de mim melhor pessoa ao ultrapassar este momento de dor e sofrimento que me atingiu em tenra idade.

Agora, vou tentar não perder o meu Avô que está emocionalmente de rastos, e ter a melhor responsabilidade que me podiam dar: o tratar do cantinho dela.

Que vai sempre ser o nosso cantinho da Família e dos Amigos. Para matar as saudades virtuais de uma pessoa maravilhosa. Porque as reais, sempre estarão, neste preciso momento, no meu pequenino e encolhido coração.

3 comentários:

Paula Raposo disse...

Muitos beijos para todos v�s.

Kalinka disse...

Pois...foste deixar um comentario no meu blog...so que nao sei quem é o teu AVO...o que lhe aconteceu?
Ou o que aconteceu na tua vida familiar que te faz dizer que estas de rastos...
desculpa, mas nao sei a quem te referes.
No entanto, tudo de bom, dentro do possivel. Beijinho.

SaltaPocinhas disse...

sinto muito :(
um beijo