11 de janeiro de 2011

O lado parvo das coisas

Quando comecei este blog em 2004, quase tudo era menos complicado.
Ainda criança, tudo era descoberta e novidade. Existiam mil e um pretextos para escrever sobre o que quer que fosse. Tinha-se tempo de sobra para esmiuçar, pesquisar, descrever. Tempos bons esses, sete anos atrás.

Mas agora reparo que não sou mais aquela Thita pequenina que arranjava amigos com facilidade nos blogs. Que partilhava os desafios. Que escrevia a torto e a direito e tentava dar a conhecer outras crianças, que como eu, escreviam, pintavam, jogavam, faziam versos, com as ferramentas do blogspot.

Por isso, estou sem jeito. Quase perdida em como dar continuidade a este espaço.
Por um lado, os assuntos que possa tratar já não serão, naturalmente, vocacionados para o blog dos miúdos. Do outro, existe aquela estranha sensação da mudança de idade e os seus efeitos colaterais que ainda não permite – para quem tenha bom senso – entrar já no campo adulto.

Para ser mais clara, estou naquela fase parva da adolescência.

Mas isto passa.

4 comentários:

eduardo disse...

Pois passa!
E mais. Ao atravessares essa fase parvalhona, verifica-se, muito naturalmente, que estás a crescer como todas as outras crianças. Com ou sem blogs.

Isso é bom, miúda. Não stresses.

Quanto ao conteúdo deste espaço, tu continuarás a descobrir novos temas que interessam a miúdos e graúdos.

Beijinhos.

Sérgio Domingos (saddam) disse...

Basicamente todos nós já passámos por essa fase da vida, Thita.
E à distância do tempo, quem se recorda das tristes figuras da idade-teenager? Dos disparates e excessos cometidos?
Basicamente ninguém.

E tu que de parva nada tens, nem mesmo nessa idade, irás verificar que é só mais uma passagem nessa escalada que se chama formação humana.

Zé "Prisas" Amaral disse...

Reconheço esse estado. Mas não há crise. Ainda me lembro quando comentavas no meu blog a sensação que nunca tiveste de se estar privado de liberdade. E admirava-me como tu, criança que ainda és, possuía tanta sensibilidade e atenção para com os outros que não conhecias de lado nenhum.

E não será por essa fase mais arreliadora da juventude por quem toda a gente passa que te tornará diferente, podes crer.

Sabes como se dizia na minha Ala quando as coisas pareciam querer dar uma volta, Thita?

- "Aguenta os cavalos!"

Madalena disse...

Sabes Thita, eu gostava de te pedir uma boleia até à fase parva, à tua porque a minha acho que já perdi a carreira. Levas-me até à tua fase parva. É bonita, sabes? Beijinhos Thita. Tenho orgulho em ti.